Tuesday, May 20, 2008

Roberto Victorio (1959)


    ROBERTO VICTORIO nasceu no Rio de Janeiro em 1959. Concluiu o curso Superior de Violão na FAMASF-Rio e pela Universidade Federal do Rio de Janeiro obteve os títulos de Regência (bacharelado) e Composição (mestrado). Foi professor de composição e orquestração do Conservatório Brasileiro de Música do Rio de Janeiro; regente e diretor musical da Orquestra de Câmara do Rio de Janeiro; regente do Grupo Música Nova da UFRJ, até 1993 ; e bolsista da Fundação Rio Arte e Fundação Vitae para os programas de composição, respectivamente em 1996 e 2000.

    Como Compositor tem em seu catálogo mais de duas centenas de obras executadas nos principais eventos de música contemporânea fora do país, tais como: Festival de Música Nova de Zurique, Hamburgo, Nova Iorque, Budapeste, Bourges, Grösnjan, Montevidéu, Santiago, Genebra, Estocolmo, Tóquio e Cluj Napoca; além de ativa participação em todos os eventos ligados à música contemporânea no Brasil, como compositor e regente.


    É professor do Departamento de Artes e Coordenador do Curso de Pós Graduação em Música Brasileira da UFMT; regente e diretor musical do Grupo Sextante - música contemporânea; membro da Sociedade Brasileira de Música Contemporânea. Doutor em Estruturação Musical na Universidade do Rio de Janeiro(UNI-Rio) com pesquisa voltada para a música ritual dos índios Bororo de Mato Grosso.


    * * *
    .

    1. Codex Troano (1987) - para 10 percussionistas [mp3]


    Grupo de Percussão da UNESP
    Regência: John Boudler
    Coro de Câmara da Pró-Arte
    Regência: Carlos Alberto Figueiredo
    Grupo Música Nova da UFRJ
    Regência: Roberto Victório
    Grupo Metal Transformação Rio de Janeiro
    Regência: Zdenek Svab
    Rose Vic, soprano
    Ronaldo Victório, tenor
    Marcelo Coutinho, barítono


    "A intenção em Codex Troano foi traçar um paralelo entre o percurso musical da obra e o código maia da criação, tendo como suporte a tradição cabalística hebraica, em estreita conexão com o percurso numerológico comum a ambos. Portanto, a finalidade foi transplantar ao universo musical as práticas e os percursos internos ritualísticos, na tentativa de transpor as percepções pelo envolvimento com a inexplicabilidade ritual, aliada à prática musical enquanto obra de arte."

    .
    Roberto Victorio - (clique aqui para ler artigo completo)

    2. Tetraktys (1990) - para violão solo [mp3]
    .
    violão: Paulo Pedrassoli


    "A “Divina Proportione” como modêlo pregnante do quaternário imaterial, propagado de uma fonte única incognoscível às esferas perceptíveis da materialidade, em sintonia com o poder gerativo da Tetraktys, como modelo de reprodução do alicerce sonoro da série, em um processo de materialização / imaterialização pela ascendência numeral e pelas transposições da estrutura inicial ( 1 - 4 ) à níveis superliminares. Desta forma, o modelo pitagórico, assentado na década, faz com que o Dez (10) seja um simples retorno à Unidade, ou uma projeção fragmentada do som / número primordial, onde a gama sonora (audível) é uma simples passagem e um curto descortinar pelo universo da materialidade."

    .
    Roberto Victorio - (clique aqui para ler artigo completo)

    .
    #Partitura de Tetraktys, clique aqui#


    +obras para violão de R. Victorio: Violão com Fábio Zanon
    .

    3. Vattanan (1994) - para violoncelo e percussão

    Cello: Dimos Goudaroulis
    Percussão: Carlos Tarcha
    .
    I. Invocação [mp3]
    II. Átrio [mp3]
    III. Cântico de araés [mp3]
    IV. Liturgia dos ciclos [mp3]
    .

    "O título da peça VATTANAN é uma variação idiomática de Vattan, língua utilizada nos ritos de iniciação pelos sacerdotes de povos muito antigos que abitavam a península de Yucatan, no México. Um idioma perdido no tempo, utilizado pelos Maias enquanto remanescentes diretos dessa etnia. O número quatro é o elemento unificador da obra: divide os movimentos, os acordes, a relação intervalar e as frases e períodos musicais. Esse elemento foi retirado da referência histórica da civilização de Yucatan, das quatro cidades sagradas, dos quatro pólos iniciáticos daquele povo."

    .
    (Eduardo Guimarães Álvares)


    4. Sentinelas de Pedra (1996) - para grupo de câmara [mp3]
    .
    Grupo Sextante de Mato Grosso
    .

    5. Chronos IV (1999) - para contrabaixo e percussão [mp3]
    .
    Duo Abreu - Passos
    .

    6. Chronos X (2002) - versão para flauta solo [mp3]
    .
    Flauta: Odette Ernest


    "Após constatarmos a enorme luta humana em desvendar os mistérios do tempo e suas ramificações - enquanto fenônemo multidimensional que tem o poder de transportar as realidades tridimensionais à uma outra esfera de existência como um continuum irretornável - e adentrarmos em suas consequências no âmbito musical, como manifestação e percepção geradora, concluímos que, apesar de todos os caminhos apontarem para o viés da “noção de tempo” como uma nova abordagem do modelo perceptivo (e todos os seus afluentes), o vislumbre deste estado temporal, ou fluxo imanente que perpassa a tudo e a todos, e que, inegavelmente, causa impressões distintas em nós, seres tridimensionais, resume-se a uma pré-percepção do espaço-tempo quadridimensional."

    .
    Roberto Victorio - (clique aqui para ler artigo completo)


    * * *

    página de Roberto Victorio, clique aqui.



    Source URL: http://moremusicisthekey.blogspot.com/2008/05/roberto-victorio-1959.html
    Visit moremusicisthekey for Daily Updated Hairstyles Collection

Blog Archive